terça-feira, 26 de março de 2013

Cadê o nosso objetivo diário?


Sinto um frio que congela o meu coração, e para aquecê-lo, devo sempre ter como recurso a minha imaginação. Tento fazer tudo parecer mais fácil, mas nem tudo consigo e referente ao nosso resgate, sempre me atrapalho no que dizer.

A única coisa que te peço é para não me julgares por estar assim, tento e me esforço ao máximo para te ver sorrir.  Não estou conseguindo acertar as coisas, isto porque os sentidos de nossos olhares estão cada vez mais opostos.

Ambos gostaríamos de entender o que esta acontecendo, mas a verdade, é que não esta acontecendo nada a não ser o que é tão comum. Quando duas pessoas se acomodam, o tempo passa e vai levando tudo de bom consigo. O nosso objetivo diário, deveria ser sempre renovar o que consideramos básico, como dito a confiança, e me fale? Cadê a renovação de motivos de se confiar um no outro...na minha concepção, o tempo levou e nós estamos apenas olhando, com os braços cruzados e constantemente afirmando: Se é pra ser, será!

sábado, 16 de março de 2013

Sociedade maléfica


Entre milhares de aspectos relacionados a um compromisso, me considero bem mais qualificado que os demais homens... Pelo simples fato de não brincar com os sentimentos da pessoa que estas do meu lado. Respeito e ouço muito a minha namorada, sei que não a completarei por completo, mas sempre me esforço para evoluir a forma com que a amo.

Como humano, me encontro na necessidade de me deslumbrar com constantes motivações de que tenho motivos o suficiente para continuar sendo fiel; companheiro; melhor amigo; namorado, e amante. E quando me deparo em situações pela qual deixo de vislumbrar a determinação de reconquista, quando vejo que a pessoa que me ama, duvida do meu amor por ela, ou que a mesma começa a refletir se realmente este nosso relacionamento é favorável a sua vida, começo a ficar desorientado, perdido e alucinado em ilusões implantadas no cotidiano por esta sociedade maléfica.

Estes pensamentos negativos, de tão presentes em nossas vidas, já os consideram normais e comuns. Afinal, mesmo que sejam em proporções diferentes, todos os possuem. O que muda de pessoa a pessoa, é a determinação por confronta-los no objetivo de ter uma longa vida, ou alimenta-los com nossas forças e sonhos, destruindo desta forma nós mesmo, pois desta forma, a força acaba e consequentemente os sonhos morrem, promovendo assim a nossa morte por completo.

terça-feira, 5 de março de 2013

Eu queria voltar no tempo


Eu queria voltar no tempo, só que com a maturidade que hoje tenho. Gostaria de ter feito as mesmas coisas, só que com um olhar diferente, voltado para a realidade, e não somente para as minhas fantasias loucas de que tudo pode ser perfeito.

Eu gostaria de ter errado menos, só que adquirido bem mais experiência. Eu gostaria de ter aprendido a me proteger mais, e a ser uma pessoa mais admirável por mim mesmo.  Gostaria  de ser este Thales, só que com a maturidade do Pedro, a esperteza do Jorge, a inocência do João, e a força do Ricardão.

Eu continuaria a desejar uma única mulher, a fazer de tudo para a mesma se sentir segura em meus abraços, a se sentir amada em meus beijos e a possuir a certeza que és a única nos meus pensamentos.

sexta-feira, 1 de março de 2013

Reconciliação


Esta chovendo, sinto o ar mais fresco. O ar que respiro até parece estar purificando os meus sentimentos. Estou mais calmo, de agora adiante consigo ver com mais clareza do que esta de fato acontecendo.  

A porta esta fechada, ouço sussurros de muitas pessoas lá fora, parece que estão apressadas, pois suas palavras correm como se nada as impedissem de ir para onde bem querem ou de fazerem o que bem desejam.

Tenho muito medo, mas logo percebo que assim é a vida, e que para poder continuar vivendo, precisarei sair do quarto rapidamente, abrir a boca e proclamar a minha liberdade de expressão. Preciso promover uma coragem interna e soltar as palavras  como se as mesmas tivessem pernas, mas antes tenho que instrui-las, mostrando a elas quais serão os alvos, e quais são os prováveis retornos de respostas.

Preciso educa-las  com muito amor, até para que em seus conflitos consigam demonstrar o quanto sou amoroso e calmo. Eu gosto da paz e da união, principalmente de dois corações, então preciso ensinar as minhas palavras a como conseguirem adentrar no coração da pessoa que amo, e mostrar que minhas palavras tem sim um intuito, é que é de reconciliação.