quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Velhos amores, novas paixões.


Este mundo esta repleto de maldades e interesses individualistas. Antigamente, a maioria dos casamentos eram proporcionados para juntar as famílias com interesses semelhantes e assim oferecer aos netos uma condição financeira mais confortável, pois, os parentescos eram bem sucedidos ou tinham certa semelhança em relação ao mesmo.

Atualmente os desejos dos avôs continuam os mesmos, só que percebe-se que o importante é as condições morais e não mais as financeiras como antigamente. Para confirmar isto, pode-se observar o índice de desunião entre casais (separação), ou seja, as condições financeiras nem são mais o principio de todo casal e conseqüentemente o dinheiro não prende a mulher dentro de casa e nem as roupas lavadas fazem do homem como “satisfeito” em relação ao casamento.

Contudo, o principio de todos é seguir as vontades do coração, trazendo sempre novas experiências e emoções, e conseqüentemente fazer dos velhos desejos novas emoções e dos velhos amores, novas paixões.

Seguindo em frente

Passo por um momento na vida, como se estivesse andando contra o vento, descalço em uma superfície repleta de pedregulhos. Muitos dedos suge...