quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Semelhante mas não igual!


Já vi tantas folhas caírem, tantas gotas molharem o chão e tantos sussurros do coração. Já vi tantas mudanças de estações, prédios sendo construídos atraindo multidões.

Confesso que vivenciei coisas que todo mundo vivenciou e que senti coisas que todo mundo gostou, mas, tenho que confessar, sou único nas emoções, onde até posso ser semelhante, mas, jamais igual a todo mundo.


Seguindo em frente

Passo por um momento na vida, como se estivesse andando contra o vento, descalço em uma superfície repleta de pedregulhos. Muitos dedos suge...